André

Por trás de uma personalidade tímida

reflexiva e tranquila

brilha um Espírito grandioso

de coragem e fidelidade distinta

 

Tantas vezes preferia

a pesca solitária

para penetrar no mundo 

que o pensamento criara

Resquícios do passado?

Quem poderá dizer?

em busca da Verdade

pois a Verdade, era todo o seu querer

Buscou primeiramente os ensinos, com mestres espirituais

lealdade, fidelidade, a fé isenta de rituais

Mas  ao ouvir uma voz que clamava no deserto

despertou a consciência

procurou chegar mais perto

“arrependam-se enquanto é tempo...”

Soprava-lhe aos ouvidos o vento

percebeu uma nova visão 

longe dos paramentos

daquela fé imatura

que leva à exterioridade

a ingênua criatura

Não podia crer André

que na suntuosidade do templo

fora plantada a Verdade

“Arrependam-se! modifiquem suas tendências malsãs

vem surgindo no horizonte

a mais perfeita manhã”

André não se intimidou

buscou o profeta rude

acercou-se de sua vida,

percebeu suas feridas

que o terreno árido nos pés lhe causara

-O que levaria alguém

a uma vida solitária?

senão a certeza imensa naquilo que pregara?

Abandonou as redes

encontrou o alimento que sua alma ansiara

Seguiu pelo deserto aprendendo com este Mestre

que para o corpo de carne

basta mel e frutos silvestres

Mas para a alma madura

confiante na eternidade

o alimento que perdura

é sem dúvida a Verdade

Acreditando André ter aportado em porto seguro

se dispôs a ir com João ao encontro de seu futuro

mas no momento previsto,

quando já estava pronto, o compromisso aflorou

O encontro decisivo

com clareza revelou

João o Vetor Bendito

sem demora anunciou:

-Ele é o verdadeiro caminho, nosso Mestre e Salvador

entrega a Ele seu destino

e então lhe ensinará 

que o Amor é a maior das Verdades

que o Espírito pode encontrar

Chegando ao Mestre amigo

nem precisou lhe falar

como um velho conhecido

Jesus quis lhe perguntar:

-Que buscais irmão querido?

o que lhe posso ofertar?

vem comigo, vinde e vede

o trabalho a lhe esperar

E foi confiado a André

grandes testemunhos de fé

além de Betsaida, seu berço

toda Judéia o conheceu

em tantos momentos de luz

que o povo acompanhou

levou André a Jesus

o jovem que se achegou

com cinco pães e dois peixes

e o Mestre multiplicou

Foi André que trouxe o jovem

e o fenômeno presenciou

fortalecendo sua fé para o amanhã que viria

no Monte das Oliveiras, na mulher de Samaria

e outros tantos momentos

marcaram sua memória

e o contato com Jesus

forjou a sua história

Depois que o Mestre se foi

para as excelsas alturas

sabia André que deveria

amar todas as criaturas

E a sua missão programada

nos escaninhos do Amor

mostrou que sua palavra

confortaria a dor

Saiu então o discípulo 

em busca do seu mister

levar o Evangelho do Mestre

a todos: homem e mulher

Gentios, pagãos, judeus

ouviram sua palavra

viram curar filhos seus

daquelas mãos que jorravam

toda a luz que recebeu

dos ensinamentos do Cristo

E pelo leste europeu

cumprindo seu compromisso

que o levou até a Grécia

em Patra seu corpo alquebrado

foi devolvido à terra

erguendo o Espírito amparado

por seu Mestre e Salvador

que em seu trajeto ensinou:

-Não temais queridos meus aquele que a carne mata

porque o Espírito imortal continua a caminhada

Nos seus momentos finais

não deixou de consolar com o verbo que esclarece

e ampara sem cessar

antes de se despedir, antes do último gemido

André pôs-se a repetir:

-“O homem que pertence a Jesus, nunca será punido.”

 

Texto de Lúcia Miluzzi

Back to top